»Home »Notícias: Notícias apdi

NOTÍCIAS

NOTÍCIAS APDI

A APDI no programa "Ponto de Partida" na Antena 1

08-03-2017

*DII: no interior da Doença Inflamatória Intestinal*


A APDI esteve no programa da Antena 1 "Ponto de Partida" para falarem sobre a DII. Foram entrevistadas a Dra Salomé Pinho (investigadora), a Dra. Paula Lago (gastrenterologista), Amélia Santos (colaboradora da APDI) e a Dra. Cândida Cruz (Vice-Presidente da APDI).


Ouça o programa neste link: http://www.rtp.pt/play/p2063/e277356/ponto-de-partida


Porto lidera ensaio clínico para tratar Doença Inflamatória Intestinal

07-02-2017

Uma investigadora do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S), do Porto, vai liderar um ensaio clínico que visa desenvolver um novo tratamento para a Doença Inflamatória Intestinal, patologia que afeta cerca de 15 mil portugueses.


Com este ensaio clínico pretende-se testar "um agente de origem natural, não tóxico, de baixo custo e com propriedades imunomoduladoras (efetivas no controlo da resposta imune e da inflamação intestinal)" que atue na Doença Inflamatória Intestinal (Colite Ulcerosa e Doença de Crohn), disse à Lusa a coordenadora do projeto, Salomé Pinho.



Esse agente, já testado anteriormente em modelo animal, revela "eficácia no controlo da inflamação intestinal e na supressão da progressão e severidade da doença" e pode ser utilizado como terapia simples ou em associação com outros fármacos.


Os indivíduos que sofrem da Doença Inflamatória Intestinal têm, de acordo com a investigadora, uma pirâmide terapêutica, na qual começam com uma terapia anti-inflamatória de base e depois vão escalando à medida que deixa de ser possível de controlar as crises, avançando para fármacos mais agressivos e com muitos efeitos secundários, sendo a cirurgia o topo da pirâmide.


A mais-valia deste novo agente é que, através do seu uso, "o doente pode descer essa escalada terapêutica e, em associação com os fármacos de base da pirâmide, controlar a atividade da doença, evitando a passagem para medicamentos mais agressivos".


"O mais importante é que é possível, com recurso a este novo agente, conseguir controlar os estágios de remissão da doença, regulando assim a doença de forma mais sustentada e mais prolongada ao longo do tempo, evitando a tal escalada terapêutica", acrescentou.


Segundo um comunicado do i3S, a Colite Ulcerosa e a Doença de Crohn afetam cerca de 2,5 milhões de pessoas na Europa, tendo vindo a aumentar o em todo o mundo o número de indivíduos que sofrem da doença. "Crónica" e "altamente debilitante", atua sobretudo nos jovens, não tendo "forma de ser prevenida" por não existir uma causa conhecida.


Estas duas patologias, que intercalam períodos de atividade e fases de remissão (controlo), "passam de uma estágio a outro de forma imprevisível", sendo esta uma constante "durante toda a vida do indivíduo, não havendo forma de prever ou prevenir as crises", indicou Salomé Pinho.


"A inflamação crónica ao nível do intestino acarreta ainda um risco acrescido de evolução para cancro do intestino, visto que o intestino está constantemente a ter um fator de irritação que pode potenciar a transformação maligna", explicou.


O ensaio clínico, que inicia no primeiro trimestre de 2017, vai incluir mais de 100 doentes, prevendo-se que os primeiros resultados sejam divulgados no período de um ano e meio.


Este projeto vai ser desenvolvido no Centro Hospitalar do Porto/Hospital de Santo António (promotor) em colaboração com o Hospital de São João, também no Porto, podendo ser recrutados doentes de outros hospitais do país.


Financiado pela fundação americana Crohn's & Colitis Foundation of America (CCFA), uma organização voluntária dedicada à descoberta de curas para doenças inflamatórias intestinais, pode ser posteriormente alargado a outros hospitais europeus.


Atualmente, Salomé Pinho é investigadora principal do i3S, onde lidera uma equipa cuja principal missão é usar uma abordagem multidisciplinar realizando investigação fundamental, bem como validação pré-clínica e clínica de estratégias terapêuticas racionais para a inflamação - em particular a Doença Inflamatória Intestinal - e para o cancro.


(Fonte: Notícias ao Minuto)

(Fotografia: Sapo lifestyle)

Editorial

23-01-2017

O ano de 2017 está a começar e com ele queremos dar novo dinamismo à APDI na sua atividade em prol dos doentes. Com esse objetivo definimos uma estratégia de comunicação mais aguerrida e positiva.


Do projeto que nos propomos concretizar este ano destacamos:


1º. A comemoração do dia mundial da DII, a 19 de maio, em que iremos realizar um workshop subordinado ao tema “O doente com DII e a relação com o médico”.

Com esta iniciativa pretendemos que, com a perspetiva de todos os envolvidos, (doentes, médicos, enfermeiros, psicólogos) sejam identificados os pontos fortes e fracos desta relação e, naturalmente, surjam propostas de melhoria.


2º. A 18 de novembro terá lugar o 1º Congresso Internacional da APDI que irá versar sobre 2 temas principais:

- A relação médico/doente com a apresentação dos resultados do workshop;

- Novas terapêuticas na DII.


No dia do congresso iremos realizar a nossa assembleia geral.


No final do ano irão ser surpreendidos com uma iniciativa diferente de que lhe daremos conta mais lá para a frente.


Reserve já estas datas.


Colabore com a sua Associação.


Ana Sampaio/Cândida Cruz

Yoga na APDI

15-09-2016

Depois de umas maravilhosas férias, está na altura de voltar ao trabalho! E, com o regresso à vida normal, porque não experimentar uma aula de Yoga?

 

A APDI terá todo o prazer em recebê-lo para uma aula experimental. Para isso apenas precisa de boa disposição, roupa confortável, uma manta e um colchão.

 

O Yoga tem inúmeras potencialidades a vários níveis. Na APDI as aulas disponibilizadas são baseadas na técnica Hatha Yoga, que é uma das mais conhecidas no Ocidente. O Hatha Yoga é bastante orientado para o trabalho do corpo, com especial atenção no seu alinhamento. Este alinhamento permite quebrar padrões corporais e emocionais, que resultam na alteração de padrões comportamentais. São essas mudanças que permitem compreender os benefícios do Hatha Yoga, já que este envolve a prática de posturas físicas "ásanas" que proporcionam equilíbrio, energia, flexibilidade e relaxamento, com exercícios respiratórios "pranaymas" que melhoram a concentração e o equilíbrio psíquico, trazendo mais tranquilidade. Assim, o Hatha Yoga traz inúmeros benefícios a todas as pessoas. Contudo, esses benefícios são bastante mais evidenciados nos portadores de Doença Inflamatória do Intestino (DII), já que estes vivem com uma patologia bastante exigente não só física como mentalmente. Os alunos que já frequentam as aulas podem comprovar melhorias ao nível da respiração, controlo de stress, postura e tranquilidade. Venha experimentar uma aula sem compromisso! Esperamos por si!!

 

As aulas decorrem na sede da APDI (Av. Rodrigues Vieira nº 80, 4465-738 Leça do Balio), todas as quintas-feiras, às 18:30.

Consultas de Psicologia

15-09-2016

Viver com uma Doença Inflamatória do Intestino (DII) não é fácil.Tanto a Doença de Crohn como a Colite Ulcerosa obrigam a alterações na vida e no dia a dia que podem ser difíceis de integrar. Numa consulta de Psicologia poderá explorar as suas dúvidas e os seus receios num ambiente compreensivo e especializado. Vai poder, com o Psicólogo, desenvolver novas ferramentas e soluções para os desafios da DII. A APDI dispõe de consultas de Psicologia Clínica especializada, para os seus associados, no Porto e em Lisboa.

 

Consultas no Porto: Terças-feiras e Quintas-feiras, entre as 10:00 e as 13:00 na sede da Associação (Av. Rodrigues Vieira nº 80, 4465-738 Leça do Balio)

Consultas em Lisboa: Quintas-feiras entre as 18:00 e as 20:00 na seguinte morada: Travessa Luís Pereira da Mota nº 3 - 2º A, 2670-488 Loures.