»Home »Notícias: Notícias apdi

NOTÍCIAS

NOTÍCIAS APDI

Consultas de apoio nutricional | Consultas de apoio psicológico

13-03-2020

Consultas de Apoio Nutricional 
São à 6ª feira, entre as 9h e as 12h.
Durante o período de contingência do COVID-19, o apoio nutricional será prestado por Web.
A marcação deverá ser efetuada através dos contactos da APDI 932 086 350 ou geral@apdi.org.pt .
A Nutrição tem uma importância especial para os portadores de Doença Inflamatória do Intestino (DII), já que, por um lado estas doenças têm tendência para a desnutrição e, por outro, a boa nutrição é essencial para que o organismo possa recuperar e manter a saúde. Assim, é fundamental que os Doentes de Crohn e de Colite Ulcerosa estejam conscientes de que fazer uma dieta completa e equilibrada é importante para a DII.

Consultas de Apoio Psicológico
No Porto:
3ª feira e 5ª feira, entre as 10h e as 13h através de marcação junto da APDI.
Em Lisboa:
5ª feira de tarde, através de marcação junto da APDI.

Durante o período de contingência do COVID-19, o apoio nutricional será prestado por Web.
A marcação deverá ser efetuada através dos contactos da APDI 932 086 350 ou geral@apdi.org.pt.

Viver com uma Doença Inflamatória do Intestino (DII) não é fácil. Tanto a Doença de Crohn como a Colite Ulcerosa obrigam a alterações na vida e no dia-a-dia que podem ser difíceis de integrar. Numa consulta de Psicologia poderá explorar as suas dúvidas e os seus receios num ambiente compreensivo e especializado. Vai poder, com o Psicólogo, desenvolver novas ferramentas e soluções para os desafios da DII.

Coronavírus: Covid-19 e a DII

06-03-2020

O Covid-19 tem feito parte do dia-a-dia de todos nos últimos meses, está em todas as notícias e em todas as conversas. Se tem DII saiba que a Organização Internacional para o Estudo das Doenças Inflamatórias do Intestino (IOIBD) está atenta à evolução do Covid-19 e ao seu impacto na nossa população de doentes. E anote que até à data, não existe investigação específica sobre o impacto da Covid-19 na DII. 

É verdade que a DII é causada por uma hiperatividade do sistema imunitário, sendo frequentemente tratada com recurso à modificação ou supressão imunitária. Os doentes com DII tratados com medicamentos imunossupressores são, tipicamente, mais suscetíveis a infeções. Ainda assim, não há para já motivo para alarme e a Organização Internacional para o Estudo das Doenças Inflamatórias do Intestino promete continuar a atualizar as recomendações à medida que se conhecerem mais dados.

As recomendações são por agora iguais às que são feitas à população sem DII. Evite estar em contacto direto com pessoas doentes, lave as mãos frequentemente, evite tocar no nariz, na boca e nos olhos, consulte um médico se tiver febre, tosse ou dificuldade em respirar e, se ainda não o fez, vacine-se contra a gripe.

Se pretender ler o documento em português pode vê-lo em baixo ou ler em inglês no link https://www.ioibd.org/ioibd-update-on-covid19-for-patients-with-crohns-disease-and-ulcerative-colitis/.

No caso de qualquer sintoma por favor contacte a linha Saúde 24 através do número 808 24 24 24. 
Pode acompanhar todo a informação relativa a Portugal em https://www.dgs.pt/corona-virus.aspx  

IOIBD Update on COVID19 PT_apdi / 188 KB

» Download

Diagnóstico na DII

18-02-2020

O número de casos de Doenças Inflamatórias do Intestino não pára de subir, principalmente em idades mais jovens. Estas doenças não são, regra geral, difíceis de diagnosticar. Foi com o médico Luís Correia, Presidente do GEDII, que estivemos à conversa no novo episódio de “Dar a Volta à DII”.
Neste e nos próximos vídeos vamos dar foco à Anemia uma vez que esta pode ser uma forma de apresentação da DII. O “cansaço, a fadiga, a dificuldade em realizar bem o dia-a-dia” são sinais a não perder de vista, lembra o médico. É habitual associarmos estes sintomas a um estado de stress, mas há que ter em atenção alguma palidez e emagrecimento, por exemplo.
As DII podem ter manifestações extraintestinais e muitas vezes o primeiro diagnóstico pode não ser o acertado. De acordo com o médico gastroenterologista, “desde que o doente seja identificado como tendo uma doença sistémica é uma questão de tempo até que o diagnóstico seja feito”. O importante, em suma, é não desvalorizar os sintomas.
Veja tudo no nosso YouTube.

Estudo Fada dos Dentes

24-01-2020

O estudo da exposição na infância a determinados compostos realizado pela Dra. Joana Torres, investigadora na área da Doença Inflamatória do Intestino (DII), pretende perceber, através dos dentes de leite, se na DII existem exposições distintas durante as fases precoces de desenvolvimento. Apesar de as causas da doença serem desconhecidas, alguns estudos sugerem que os fatores ambientais e determinadas exposições em fases precoces da vida possam ter um papel na génese da DII.
Recorrendo a tecnologias com laser é possível avaliar a matriz dos dentes de leite e perceber possíveis associações entre exposições nestas fases do desenvolvimento e associação com doenças. Assim sendo, basta que sejam doados dentes de leite. Se estiver interessado, responda aqui ao questionário.

Alimentação e DII

21-01-2020

A ligação entre a alimentação e o surgimento da Doença Inflamatória do Intestino (DII) não está provada com evidência científica. Ainda assim, uma alimentação equilibrada é importante para todas as pessoas e sobretudo para as crianças e jovens em fase de crescimento. As pessoas com doença de Chron ou Colite Ulcerosa não têm de fazer uma dieta específica, exceto quando a doença está ativa para que a recuperação seja mais rápida.
Estivemos à conversa com a nutricionista Carla Guimarães que sublinha que quando a doença se encontra controlada (sem sintomas) um doente com DII pode comer de tudo, isto é, todos os alimentos que façam parte de uma alimentação saudável. Numa fase em que a doença esteja ativa alguns alimentos podem agravar os sintomas e aí poderá haver necessidade de alterar a dieta. Porém, cada pessoa é uma pessoa e a dieta tem de ser adequada a cada um, devendo o doente consultar sobre esse tema um profissional de saúde especializado em DII. 
No geral, a nutricionista da APDI recomenda sempre uma alimentação saudável para evitar crises. Isso significa a ingestão de fruta, legumes e cereais integrais. Devem ser deixados de lado os açúcares, as gorduras saturadas e os alimentos processados.
Todas as dicas para ver e anotar no novo vídeo do canal de YouTube da APDI.